sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

VENTOS

VENTOS



Imagem tirada da Internet

 O vir hoje falar de ventos deriva do facto de, na minha aldeia, sendo eu ainda muito jovem, quando o trabalho era duro, as pessoas entendiam que a alimentação adequada antes de se iniciar as jornadas, de sol a sol, já que as pessoas iam para o trabalho, ainda as manhãs vinham do outro lado do mundo, eram as gemadas, vinho com ovos batidos e as sopas de cavalo cansado, pão novamente com vinho e daí ao não haver equilíbrio, para alguns era normal e frequente as pessoas caírem para o chão.
Durante as jornadas de trabalho era ainda hábito, periodicamente, para “ rincer le siphon “ – molhar a goela - a ingestão de mais vinho do que água.
 Como resultado, algumas pessoas embriagavam-se e nessas condições, admiradas do fenómeno que lhes estava a acontecer, perguntavam a si próprias:

O VENTO NÃO ZURRA
A MIM!! NINGUÉM ME EMPURRA,
EU CAIO NO CHÃO!
SOPAS  DE VINHO EMBEBEDARÃO ??

VENTOS SÃO TORMENTOS DÂO
I
GRANDES VENTOS
BÓREAS  E  NORTE SÃO VENTOS.
NÓTUS, SUÃO  E  SUL  VENTOS  SÃO.
EURUS, SOÃO  E ESTE  DÃO TORMENTOS,
ZÉFIRO  E  OESTE TORMENTOS DÃO.
II
VENTOS MENORES
KAIKIAS  A NORDESTE
ALPELIOTES A SUDESTE
LIPS A SUDOESTE
SIROCO A NOROESTE.

III

UMA QUADRA COM TANTO ESTE
FACILITA A VIDA AO POETA.
MEU DEUS!! O QUE DISSESTE,
PACIÊNCIA!  SAIU DA BIBLIOTECA !!

Fontes : Bóreas, Nótus,  Eurus  e  Zéfiro- Odisseia de Homero . Soão e Suão do Prontuário de Ortografia de António da Costa Leão. Parceria A.M.Pereira-Lisboa. Ventos Menores da Net.


abibliotecaviva.blogspot.pt