terça-feira, 21 de janeiro de 2014

A SIDA ESTÁ A MUDAR TUDO .

A SIDA ESTÁ A MUDAR TUDO.



Imagem tirada da Internet

À questão “A Sida está a mudar tudo”, respondeu o Dr Almerindo Lessa, na altura, 1993, com 83 anos de idade:

“ Não tanto como se diz. A massificação do preservativo pode provocar controlos, baixas demográficas numas zonas mas não noutras. Os muçulmanos, por exemplo, não o usam, a sua religião não lhes permite utilizar nada que impeça a fecundação.
 - As outras religiões não diferem muito.
- As igrejas não parecem entender que a sida é apenas uma virose. Uma virose com a particularidade de se alimentar dos glóbulos brancos T, que são os glóbulos anti- infecciosos do organismo. Como doença, conhece-mo-la bem , apesar de só ter dez anos… O que complicou tudo à sua volta  foi o puritanismo da sociedade norte-americana, fomentado pela igreja protestante  , igreja que sentia grande dificuldade em controlar os homossexuais , os drogados e os imigrantes de cor.  Quando aparece a sida , transportada  por pretos do Haiti, a vitimar os homossexuais e os drogados, o bispo de  Nova Iorque  exultou : Era um castigo de Deus. Começaram então as perseguições. Foram terríveis esses tempos… O vírus, porém, depressa se espalhou a toda a população e se transformou num “ boomerang”. A moral da família americana não passava, afinal, de um grande embuste. A sua rigidez desabou fragosamente, deixando a Igreja encostada à parede, aflita. Agora é preciso desmistificar tudo, a sida é sobretudo uma doença cultural;  nós, médicos , chamamos-lhe até  “ psida”, de psicose. Como é preciso desmistificar a sexualidade …

E A DROGA  ?

A droga é um futebol, um futebol de bolso. Em vez de nos metermos nos estádios , metemos as mãos nos bolsos e tiramos pílulas . O efeito é  parecido. Se houvesse interesse em acabar com o tráfego, íamos aos campos da Birmânia e da Bolívia  , como fomos aos do Golfo e destruíamos as suas plantações. Mas não há , até porque  depois ficávamos  em saber como sustentar os birmaneses e os bolivianos. A droga é uma grande evasão, uma evasão  bastante confortável, aliás.

CONFORTÁVEL?

-É . Nós estamos viciados no conforto. Há  conforto a mais ,  conforto que criamos e que nos  provoca saturação. Saturação, cansaço, apatia, falta de empenho, quer a nível individual quer a nível coletivo. Se, em 1400, houvesse o conforto que existe hoje, não tínhamos feito os Descobrimentos.

A IDEOLOGIA DO SUCESSO, O MITO DA CE NÃO SÃO EMPENHOS SUFICIENTES?

Que ideia!  Precisávamos de inventar outros sonhos , sonhos maiores, uma nova Índia , uma Índia  para nós próprios e para o país . Os jovens de hoje estão sem futuro- estamos em 1993 - .  A comunidade não os vai absorver, as pessoas não se sentem dignificadas. Os idosos  não vêem reconhecida a sua experiência de vida,  preciosíssima licenciatura que , em vez de ser utilizada , é depreciada . Os árabes dizem  que uma pessoa idosa que morre é uma biblioteca que  arde . uma biblioteca de livros únicos , de primeiras edições  …

abibliotecaviva.blogspot.pt
21-01-2014.


PS: À pergunta - Os responsáveis têm sensibilidade para esses problemas?  A resposta,  sendo a última da entrevista ,   sairá   logo que tenha  oportunidade de a transcrever .

Um Bem-Haja para todos os meus leitores.