domingo, 30 de março de 2014

PARÁBOLA DO BURRO

PARÁBOLA DO BURRO



    Na minha aldeia, quando eu era ainda jovem, o meu tio tinha um burro com o qual eu fazia o transporte de mato e de estrume para as hortas e, quando a carga era muita, mesmo que bem distribuída, começava aos coices contra os varais da carroça E NÃO ANDAVA.

    Era burro! Mas só de nascença! Diz a lenda que a vantagem da poda das videiras se deveu ao facto de um burro ter roído uma e que no, ano seguinte, aquela exibiu excelente produção.

   Por cá a carga é tal que ficam pendurados com os pés no ar, tenho receio do que eles farão quando conseguirem por os pés no chão.


   Espero que gostem e comentem:

Publicado por:

Imagens do Álbum do Autor e do Google.
abibliotecaviva.blogspot.pt

30-03.2014