quinta-feira, 13 de março de 2014

«DEUS PEDE-NOS DO TEMPO ESTREITA CONTA»

«DEUS PEDE-NOS DO TEMPO ESTREITA CONTA»



«PORQUE NO TEMPO E CONTA TUDO CONTA»

Em tempo, quando postei um texto, no meu blogue, sobre o «Tempo-Definição em Tempo de Guerra» obtive como único comentário esta pérola, que  mais não é do que uma bela aliteração das palavras conta e tempo, transcrito pelo meu colega Snr  José Maria Lavareda Simões, a quem mando um abraço, e, ao  ler o soneto, entendi que o mesmo  tinha direito a uma página  que o tirasse do anonimato,pelo que a seguir se publica, dando-lhe, assim, o destaque devido.


«Sobre este tema de "O TEMPO" atrevo-me» a transcrever um velho soneto do século XVII, cujo autor é Frei Castelo Branco.
                                       
           O TEMPO
E CONTA, TUDO CONTA.


DEUS NOS PEDE DO TEMPO ESTREITA CONTA!

É PRECISO DAR CONTA A DEUS DO TEMPO!

MAS , COMO DAR, DO TEMPO, TANTA CONTA,

SE SE PERDE SEM CONTA TANTO TEMPO?!


PARA FAZER A TEMPO A MINHA CONTA,
DADO ME FOI, POR CONTA, MUITO TEMPO,
MAS NÃO CUIDEI NO TEMPO E FOI-SE A CONTA...
EIS-ME AGORA SEM CONTA... EIS-ME SEM TEMPO...

OH VÓS QUE TENDES TEMPO E TENDES CONTA,
NÃO O GASTEIS , POR NUNCA, EM PASSA-TEMPO,
CUIDAI ENQUANTO É TEMPO, O TERDES CONTA.

AH! SE QUEM ESTA CONTA DE SEU TEMPO
TIVESSE FEITO, A TEMPO, PREÇO E CONTA,
NÃO CHORAVA, SEM CONTA, O NÃO TER TEMPO»


Espero que gostem e comentem. 

Publicado por:


Imagens do Albúm do Autor e do Google

abibliotecaviva.blogspot.pt


13-03-2014