sábado, 22 de março de 2014

LÍNGUA PORTUGUESA NA LUSOFONIA E NO MUNDO

LÍNGUA PORTUGUESA-PAÍSES LUSÓFONOS.


INTRODUÇÂO

Em tempos, comentei que, durante a ocupação romana, no nosso lindo Alentejo, o Rio Guadiana se chamava Ana Vel Anas Fl.

Na altura é-me perguntado pela Dª Ronilda David, a quem envio cumprimentos, qual a razão pela qual o nome do rio tinha sido alterado. Na altura respondi que não sabia e apontei outros exemplos, de nomes que também tinham sido alterados, a saber; Sellium, Tomar; Collipo, Leiria; Castro Leuca, Castelo Branco; Tritium, Covilhã; Scallabis, Santarém etc.

Assim, posteriormente fui á minha Biblioteca Física e lá encontrei, um Caderno de Exercícios de Gramática Portuguesa, Parte Complementar, 7ª Edição, Livro não Oficial, que tinha utilizado durante os meus tempos de Liceu, da autoria de Eduardo Pinheiro, professor do Ensino Liceal e Técnico, da Editora Educação Nacional de Adolfo Machado, no Porto, cujo início  a seguir se transcreve:

«CONSIDERAÇÕES GERAIS

BREVE NOTÍCIA SOBRE A ORIGEM DA LINGUA PORTUGUESA

Quando os Romanos se estabeleceram na Península Hispânica o latim existia, em Roma, sob duas formas diversas: a clássicalatim literário, língua das classes superiores – e a vulgarlatim vulgar, língua das classes inferiores.

O latim vulgar foi a língua trazida para a Península pelos soldados, colonos e comerciantes romanos que aqui se estabeleceram.

Na Península falava-se então diversas línguas, sendo as mais importantes a céltica e o basco. Devido, porém, à dominação romana as línguas peninsulares desapareceram gradualmente (com exceção do basco) a ponto tal que nos fins do século IV, a língua latina na sua forma vulgar ou romanço, e com as alterações que variavam mais ou menos de território para território, era a única língua falada em toda a Península.

Deram-se, seguidamente, as grandes invasões do século V, as sucessivas irrupções de Alanos, Suevos e Godos e o romanço foi enriquecido com grande número de vocábulos das línguas faladas por esses povos.

Três séculos depois, aproximadamente, a Península foi invadida pelos Árabes e novos vocábulos, de origem árabe, foram introduzidos no vocabulário do latim vulgar.

Sob a influência de fatores diversos, tais como os costumes, as raças, o clima e outros, o latim acabou por se fracionar em diversos dialetos que constituem atualmente sete línguas principais, chamadas línguas românicas ou novilatinas, e que são: o português, o francês, o provençal, o espanhol, o italiano, o romeno e o latino (falado no cantão dos Grisões, Suíça oriental).

Podemos, pois, concluir que a língua portuguesa provém do latim vulgar ; mas, no seu vocabulário, existe elementos:

a) – Da língua céltica, que era a língua falada pelos povos que habitavam a Península quando os Romanos a conquistaram;

b) ­– Das línguas fenícia e grega, visto que  os Fenícios e os Gregos aqui tinham estado também  e alguns dos vocábulos  das suas línguas  tinham ingressado nas línguas peninsulares;

c) – Das línguas faladas pelos Alanos, Vândalos, Suevos e Visigodos, que mais tarde invadiram a península;

d) – Da língua árabe devido à permanência dos Árabes na Península, no século VII;

e) – Das línguas francesas, inglesa, italiana, alemã e castelhana devido às nossas relações comerciais, literárias, científicas e artísticas com os povos que falam essas línguas;

f ) -  Das línguas faladas pelos povos que os Portugueses descobriram ou colonizaram.
Notemos, por último, que do latim literário, assim como do grego, transitaram também muitos vocábulos para a língua portuguesa, por via erudita, devido principalmente à influência da igreja e às traduções.»

Nota: Texto transcrito já de acordo com o novo acordo Ortográfico.

Ao esperar que gostem e relembrem, esta notícia dos anos sessenta, termino com esta  minha quadra  alusiva  à minha interpretação do texto;


A LÍNGUA DO MEU PAÍS NASCEU DE UMA MANTA DE RETALHOS!
É CONHECIDA NO GLOBO ONDE OS PORTUGUESES A LEVARAM!
COM A SUA BANDEIRA E CHEIOS DE ESPERANÇA E DE TRABALHOS,
TODOS A HONRARAM! E, FELIZMENTE, POUCOS A HUMILHARAM.

Publicado por:

abibliotecaviva.blogspot.pt
Imagens; Álbum do Autor e do Google.
22.03.2014