sexta-feira, 11 de março de 2011

PARÁBOLA VERDADEIRA


PARÁBOLA

Infelizmente verdadeira


No nosso lindo Alentejo, zona rústica,  «Naquela linda terra morena deitada ao sol» , quando eu, ainda jovem , oriundo da Beira Litoral, lá fui colocado como caixeiro, o Anedotário Nacional apontava para a existência de duas coisas, a saber;
TUDO O QUE MEXE
Imagem do Google

 E TUDO O QUE NÃO MEXE
Imagem do Google
     Onde tudo o que mexe é Porco e tudo o que não mexe é chaparro, mas cada uma destas entidades têm ciclos de vida diferentes. Assim, verifica-se que a vida dos porcos é melhor do que a vida dos chaparros, porque comem a boa bolota, bebem e chafurdam na água, esfregam a barriga na lama e põem a barriga ao sol para nova corrida. Assim, alegremente, vão vivendo o seu ciclo, mais ou menos durante um ano, até chegar a hora da charcutaria. Os sobreiros e azinheiras, vulgo chaparros, têm a missão de alimentar os porcos com as suas belas bolotas que eles adoram, mas as azinheiras, que ficam por ali, sem se mexer, até secarem, vão ter como destino a lareira. O mesmo não se passa com os sobreiros que, além da lenha, de nove em nove anos ainda, ficam sem a pele, entenda-se cortiça.
                                                                MORAL DA HISTÓRIA
   Os porcos vivem felizes até chegar a sua hora, já os chaparros ali ficam, sem se mexer, até chegarem às lareiras para fornecer aquele calor tão agradável no Inverno. Assim, fico com pena dos chaparros, por terem nascido assim, visto que não se podem mexer, pois, se pudessem e sobretudo quisessem, pelo menos evitavam que, periodicamente, lhes fosse tirada a pele.

Espero que: Gostem , meditem e publiquem.


Publicado por:


Imagem do álbum do Autor
abibliotecaviva.blogspot.pt 

10-02-2014