quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

PROVÉRBIOS.

 

PROVÉRBIOS

«ANTES FACE DE COR AMARELA DO QUE VERGONHA NELA»

INTRODUÇÃO

Caros leitores, lembro aqui, o que em tempos disse, em relação a este, provérbio, quando o vi publicado no RO pelo colaborador, Cap.Francisco Cabral, a quem envio um abraço, que, do conjunto publicado, este era o meu favorito.

O facto de o ter escolhido como favorito, pôs-me a pensar, na justificação que deveria dar por ter sido ele o modelo de vida, que aprendi e, em consciência, sempre me acompanhou,  que gostaria de ver, na sua plenitude, adotado pela sociedade em que estou integrado por um lado, ver postagem no meu blogue «Estado de Alma» e , por outro lado,  solidificar os motivos que estiveram subjacentes, no meu subconsciente, ao ter feito tal escolha.

Assim, fui tentar descobrir e não inventar, como disse no meu Blogue, no texto sobre a «abiblioteca viva» onde poderia encontrar algo documentado, com credibilidade reconhecida, para justificar a mim próprio e a quem concordar com o provérbio em análise que, por coerência, a minha escolha foi acertada.

Justificando a  escolha:

Assim , descobri, do Imperador e Filósofo Romano Marco Aurélio, (121-180 DC) , autor considerado insuspeito da obra, uma vez que a escreveu para si próprio, com o título Pensamentos, publicada quase quatorze séculos depois da sua morte, em 1559, na coleção de livros RTP de 1971, o seu pensamento nº 8, a páginas nº 31, do livro III, que reza assim:


«Na inteligência do homem que se mortificou e purificou a fundo não se encontrará nenhuma infeção ou mancha, nenhuma ferida mal curada sob a cicatriz. A vida deste homem quando o destino a ceifa não nos surge inacabada como o papel do ator teatral que se afastasse das tábuas a meio da peça sem chegar ao desfecho. Depois não se lobriga em tal homem nada de servil ou afetado, nenhum apego exagerado às coisas ou exagerado desapego, nada que mereça censura; não pede buraco para se esconder».

O Povo gosta de aprender e, normalmente, segue os exemplos que vai aprendendo com a sociedade em que está inserido. No caso vertente, o autor do texto, em itálico, cita todos os seus Familiares e todos Mestres que teve, «não querendo revelar erudição», com os quais aprendeu todos os ensinamentos que desejaria aplicar ao Povo do seu Império.

Assim, tal como os pais e alunos gostam de ter, na sua escola, bons professores, o Povo quando tem um chefe, como o citado que, para si próprio pensou assim, vai encontrar nele, se lhe forem aplicados estes princípios, motivações fortes para os seguir e assimilar e, se os seguir, com certeza, terá mais probabilidades de viver uma vida melhor, pelo que  julgo que:

A sociedade será mais humana, feliz e socialmente mais justa, quando as pessoas conviverem e se olharem, como irmãos que se amam e, na mesma sociedade, deixarem de existir aqueles seres que, quando se encontram, se evitam uns aos outros, bem como quando, gradualmente, se não conheçam mais pessoas que tentam desviar a face dos seus interlocutores ou que andam à «procura de buracos para se esconder».

Finalizando:

Em relação a provérbios, tenho vindo a escrever que, «o Povo ao qual pertenço», como dizia o saudoso Dr Pedro Homem de Melo, esse mesmo Povo anónimo, diz que « Ninguém sabe tudo! Só todos é que sabem tudo», por isso  queria deixar,  aqui inserta, para meditação,  a  seguinte quadra, a seguir:

A VIDA TEM QUATRO ETAPAS*
ALGUMAS D´ELAS TÊM AMOR!
NELAS?     MORARÁ   A ILUSÃO!
  O  LUTO! ,   TRISTEZA!   E      DOR?
* «Infância, Adolescência, Adulta e  3ª Idade

Diz o mesmo Povo :

«Nunca faças aos outros o que não desejarias que te fizessem a ti» e, para todos aqueles que têm contribuído para o estado de desmotivação e incerteza criada, em especial, naqueles, que do pouco que sabiam, também lhes ensinaram e poderiam continuar a ensinar-lhes alguma coisa, refiro-me aos idosos e pensionistas, para meditação aqui fica, mais um provérbio do mesmo Povo;

«FILHO ÉS E PAI SERÁS COMO FIZERES ASSIM ACHARÁS»

Espero que gostem e comentem.
Publicado por :


Imagem tiradas do Álbum do Autor e do Google.
abibliotecaviva.blogspot.pt

26-02-2014